Núcleo de Defesa da Mulher apóia campanha de combate à violência durante o carnaval

Núcleo de Defesa da Mulher apóia campanha de combate à violência durante o carnaval

O Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID), em parceria com a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (CMPM), realizam campanha a ser divulgada no Carnaval deste ano. O objetivo é alertar a população e incentivá-la acerca do enfrentamento à violência doméstica e familiar contra mulheres. Pesquisas demonstram que em períodos festivos como este, no qual há um excessivo consumo de bebida alcoólica, drogas e exploração da imagem feminina, aumentam os índices de violência contra a mulher. Deste modo, o Núcleo, que cotidianamente realiza práticas de prevenção e repressão aos crimes correlacionados, apóia campanhas como essa.

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA), disponibilizou nesta quarta-feira (20) as peças da Campanha Nacional de Proteção a Crianças e Adolescentes no Carnaval. Com o tema “Respeitar. Proteger. Garantir – todos juntos pelos direitos da criança e do adolescente”, a ação tem como objetivo conscientizar a população a denunciar qualquer situação de violência, especialmente a exploração sexual, o trabalho infantil e o uso de álcool e drogas por crianças e adolescentes. Além disso, busca alertar para o combate à violação de direitos de meninos e meninas em situação de rua e para os riscos de desaparecimento de crianças.

Essas são as violações mais comuns contra crianças e adolescentes em períodos de grande movimentação turística no país. Para alertar sobre os casos suspeitos, os cidadãos podem utilizar o Disque 100 (Disque Direitos Humanos). Além da ligação gratuita, o serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil e site Humaniza Redes.

“É importante aproveitar a folia respeitando, protegendo e garantindo os direitos de crianças e adolescentes”, afirma a secretária Petrúcia de Melo Andrade.

Leave a Reply